top of page

Crise e Carisma

Crise e Carisma - Uma análise histórica das crises no início do Instituto Marista à morte do Fundador


Nós, membros do Grupo de Investigação do Patrimônio Carismático Cultural Marista da Rede de Centros de Memória Marista da Região América do Sul, executamos a missão de esclarecer, a partir de nossas carismáticas origens e história, a realidade complexa e crítica que enfrentamos hoje como família humana diante da epidemia que nos afeta de modo assombroso.


Como já sabemos, trata-se de um fato de nos atinge sem o preparo adequado e, além disso, causado por um problema específico de saúde – a propagação e o controle de um vírus pernicioso contra o qual ainda não há remédio –, e que trouxe com ele inúmeros outros problemas. Alguns deles afetam diversos sistemas: econômico, interrelacional, familiar, social, político e, ao mesmo tempo, o próprio sentido da vida. Uma crise como a que enfrentamos não chega sozinha, pois muitos outros aspectos de nosso cotidiano são dramaticamente influenciados por ela. Diante dessa realidade e das provocações que nos impôs o XXII Capítulo Geral, somos chamados a ser construtores de pontes na busca de relações menos egoístas que se concretizem em ecos da vida e da solidariedade entre os seres humanos.


Por isso queremos oferecer, numa série de artigos breves do Patrimônio Marista, uma visão carismática da realidade em que, Maristas de hoje, estamos mergulhados, uma vez que fazemos parte dessa humanidade que a vive e sofre. Não apenas como participantes passivos, mas sobretudo como atores que se esforçam por mostrar alternativas, as mais diversificadas, para enfrentar o que pode ser vivido de outro modo, como de fato muitos Maristas já atuam, inspirados na caminhada de Marcelino Champagnat.


Não foram a crise, o conflito, a dívida, a dúvida, o descrédito, o colapso da rotina... parte da caminhada de Marcelino Champagnat e da primeira comunidade de irmãos em companhia da qual ele seguia essa trilha carismática? Se isso é verdade, como eles viveram? Quais foram os segredos de sua resiliência no enfrentamento de sua trajetória, a fim de neste momento continuarem a ser, para nós, fonte de inspiração e esperança? O que eles conseguiram aprender com essas experiências terríveis que enfrentaram e às quais deram resposta? Alguns desses aprendizados ficaram incorporados em nosso DNA carismático marista, a ponto de despertar em nós o que temos de melhor e oferecê-lo dentro do nosso contexto?


Mas não queremos apenas dirigir nosso olhar para esse grupo que deu origem a nossas raízes maristas e construiu suas características. Levaremos igualmente nosso olhar para a história da caminhada de nossa família carismática porque o dom do Espírito Santo entregue na graça da fundação está longe de ser apenas uma relíquia. É antes um manancial que traz vida a todas as gerações que o recebem e a todos os contextos em que vivem e se entregam os que o acolhem. Há, por conseguinte, uma missão evangélica e mariana coletiva que se desenvolveu e se expandiu ao longo do tempo que vivenciamos de 1817 até nossos dias e do espaço que ocupamos iniciando em La Valla até atingirmos os 82 países em que nos encontramos atualmente.


A partir desse olhar histórico, nos interrogamos também sobre as graves crises que, hoje, como família carismática global, estamos vivendo no percurso da história da qual fomos e somos parte nesses dois séculos de caminhada. Que crises foram essas que nos afetaram? Que crises externas nos atingiram? Que crises internas nos abalaram? Como nós as recebemos, as enfrentamos e as superamos? O que aprendemos com cada uma delas? O que resultou de cada uma delas na evolução de nosso carisma, tornando-o mais rico para nós mesmos e para os outros?


Nos artigos que se seguem, nos dedicamos a aprofundar cinco domínios críticos que nos afetaram desde nossas origens e que ainda hoje são componentes da grave pandemia que nos flagela:


• Em primeiro lugar, o tema da saúde, presente nas origens em duas experiências muito fortes da vida de nossa comunidade fundadora: a grave e prolongada doença do padre Champagnat no final de 1825, que o colocou em situação de risco de morte, e o triste dado do falecimento de 53 irmãos antes de Marcelino morrer em 1840, cuja média de idade era de 22 anos.


• Em segundo, tendo em vista a complexidade de nossa crise atual, os prolongados e variados acontecimentos que se sucederam a partir de sua enfermidade no final de 1825, situação que desencadeou um período confuso em torno de temas ligados às finanças, à credibilidade, ao abandono, que colocaram a obra marista à beira de um precipício.


• Em terceiro, o tema econômico, presente desde o princípio da fundação, com grandes sonhos, mas recursos mínimos, o que levou o Fundador a endividar-se constantemente, chegando a momentos de descapitalização, e a viver com suas propriedades e terrenos disponíveis da obra nascente hipotecados, condição que perdurou até sua morte.


• Em quarto, o tema da liderança, na constante procura da melhor estrutura de animação, gestão e governo para dar sustentabilidade a sua obra, busca que se viu interpelada, e por vezes de modo severo, pelas autoridades estabelecidas e pelos sentimentos das pessoas.


• E, finalmente, um artigo que se esforçará para apresentar um olhar de conjunto das formas de acolher e enfrentar as diversas ramificações críticas, além das já mencionadas, que a obra marista nascente teve de enfrentar, na caminhada de procura e crescimento do dom carismático do Espírito Santo através do Fundador, da comunidade fundadora e do contexto dessa experiência.


São esses os cinco pontos, pincelados aqui e abordados à luz da experiência da comunidade fundadora, que apresentaremos em artigos curtos, incluindo igualmente, em cada um deles, sua influência sobre todos nós.


Esperamos, desse modo, fornecer à família marista, luzes carismáticas para fazera caminhada que hoje devemos realizar com espírito marista, eclesial, social, cultural, familiar, relacional, econômico e político, dando sentido a nossas vidas.


Irmão Patricio Pino Medina

Santiago, 6 junho de 2021

Solenidade de São Marcelino Champagnat



Acesse o documento:

crise_carisma
.pdf
Fazer download de PDF • 3.38MB

Comments


bottom of page