top of page

Gestão Universitária Marista é tema de webinar promovida pela rede internacional Marista de educação


Representantes de mais de 10 países participaram da webinar realizada nesta terça-feira, dia 21 de novembro, pela Rede Internacional Marista de Educação Superior (Rimes). A live formativa tinha como tema das reflexões a Gestão Universitária Marista. Ir. Marcelo Bonhemberger, Pró-Reitor de Identidade Institucional da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), fez a abertura do evento. Ele reforçou que o principal objetivo da Rimes é proporcionar aos seus membros formação de qualidade, discussão sobre temas que geram impacto na sociedade e na vida de todos. “Todos nós estamos ligados pelo legado de São Marcelino Champagnat. Transformar o mundo pela educação é a nossa missão”, afirma.

Na sequência, o Pró-Reitor de Identidade Institucional passou a palavra para o Vigário Geral do Instituto Marista, Ir. Luis Carlos Gutiérrez. Ele agradeceu o trabalho que cada um e cada uma desenvolve por meio de diferentes estratégias e parabenizou os organizadores pela iniciativa e escolha do tema. “Grandes desafios, grandes oportunidades. A gestão nos pede que façamos sempre uma revisão, uma observação de mundo muito cuidadosa para que possamos construir, transformar. Sejamos corajosos para explorar novas e interessantes possibilidades”, reforça o Vigário Geral.

Após as falas de abertura, foi a vez de apresentar o convidado especial da webinar: o antropólogo colombiano Santiago Uribe Rocha. Ele é um dos responsáveis pelo desenvolvimento exponencial que Medellín teve nos últimos 30 anos. Na década de 1990, a cidade chegou a ser considerada a mais violenta do mundo. Em 2013, conquistou o título de mais inovadora do planeta, segundo o Instituto Urban Land.

“Estou aqui hoje para compartilhar com vocês como a Universidade de Medellín teve um papel fundamental na transformação cultural, urbana e social que ocorreu na cidade. É a inovação social como base para a transformação”, afirma o antropólogo.

Uribe, como é conhecido, é diretor da Oficina de Resiliência de Medellín desde 2013. Eles integram a rede 100 Cidades Resilientes, da Fundação Rockfeller. “Há 10 anos, uma rede de 100 cidades está trocando conhecimento – e assim se mantém viva. Todas as cidades são representadas por instituições, e grande parte é de universidades”, celebra Uribe.

O antropólogo também comentou que, para que as mudanças sejam significativas, é preciso começar pelo fim. “Partimos de um princípio fundamental: se o Estado só chegou na periferia com a polícia, nós precisamos devolver a dignidade ao cidadão que mora nesse local com o que de melhor nós temos”. Por esse motivo, afirma Uribe, grande parte das bibliotecas hoje estão localizadas na periferia. “Hoje, temos 26 parques e bibliotecas espalhados pela cidade”.

Foi criada uma inteligência coletiva em Medellín, e a partir daí as ações começaram a se tornar práticas do dia a dia. “A transformação não pode ser somente pela educação. O social é o princípio e o fim, é o eixo central da transformação, porque conecta humildade, silêncio para ouvir o outro e cultura – que é aquilo que permanece”, comenta Uribe. Depois de 30 anos, essas práticas se tornaram políticas públicas, formuladas e criadas pela universidade. “A universidade documentou essa transformação”, finalizada o antropólogo. Sobre a Rimes Atualmente, a Rimes consiste na uni

ão de 27 instituições que, em sintonia com as premissas da Administração Geral do Instituto dos Irmãos Maristas, em Roma, buscam criar conexões de sinergia e atuação em seus espaços de missão. Fundada em 2004, a rede tem como objetivo criar oportunidades de parcerias, formação e projetos em conjunto, potencializando a atuação no ensino superior em mais de 10 países.

Fonte: Rede Marista


Comments


bottom of page