top of page

Cuadernos Maristas


Cadernos Maristas 40 e a contribuição da PMBCS na digitalização da coleção histórica


A Comissão Internacional do Patrimônio Marista do Instituto Marista acaba de publicar a 40ª edição dos Cadernos Maristas. Junto com o lançamento da edição atual, o Instituto celebra a digitalização de todos os volumes já publicados desde 1990, em quatro idiomas: português, francês, inglês e espanhol. Este trabalho de digitalização foi realizado de maneira bastante cuidadosa pela bibliotecária Maria Palicz, do Memorial Marista da PMBCS.

Primeiramente, ela digitalizou e restaurou as edições de número 1 (1990) até o número 19. Além disso, produziu fichas catalográficas e registro ISSN para todos os números. “O ISSN é a identificação única de uma publicação em série, aceita internacionalmente. Com isso, podemos dar o mérito e valorizar os autores dos artigos, incentivando assim mais pessoas a se engajarem e produzirem material sobre a temática”, esclarece. No que se refere à digitalização, Maria destaca o ganho em termos de facilitação de acesso. “Além do documento digitalizado ajudar a preservar as informações, ele ainda facilita a busca por arquivos a serem pesquisados, fazendo assim o interessado pela informação encontrar e fazer uso do material”, explica. O resultado desse trabalho é a segunda edição da Coleção de Cadernos Maristas no formato digital, como fac-símiles da versão original.

Ao longo de um ano de trabalho, foram tratadas cerca de 21.840 páginas, incluindo a elaboração de 156 fichas catalográficas e expedientes. “O trabalho foi desafiador, pois exigiu muito empenho e trabalho manual na digitalização e tratamento das imagens, mas valeu a pena”, recorda a bibliotecária que esteve à frente dessa empreitada.

Entrevistas com os autores Com o intuito de aproximar os autores dos leitores, a Comissão do Patrimônio também produziu uma série de vídeos com entrevistas desses mesmos autores. Os vídeos podem ser acessados facilmente através de um QR-Code impresso ao lado do título do artigo. A série também está disponível no canal FMS Champagnat, ou no Canal Memorial Marista, ambos no Youtube.

Preservação da memória para o hoje e o amanhã De acordo com Dyogenes Philippsen Araujo, diretor do Memorial Marista, desde a sua origem, os Cadernos Maristas se caracterizam como uma obra colaborativa de muitos autores, que avançaram em suas investigações, possibilitando a expansão e organização da memória marista para as gerações atuais e futuras. “O material é um dos canais mais importantes de divulgação da cultura, história e patrimônio espiritual Marista. Com a digitalização e registro, os Cadernos podem expandir sua presença em diferentes meios, como nas investigações acadêmicas e novos leitores”, afirma. Para Dyogenes, o trabalho realizado pelo Memorial Marista − digitalização, ficha catalográfica e produção de vídeos – é uma importante estratégia para visibilizar e incentivar o trabalho dos investigadores. Também favorece os trabalhos da Rede de Centros de Memória Marista da RAS, uma vez que boa parte dos leitores se encontram na América.

Melhorar e entender o uso de Cadernos Maristas Para a Comissão do Patrimônio do Instituto, obter um retorno sobre o material é tão importante quanto publicá-lo. Por isso, na capa de Cadernos Maristas foi disponibilizado outro QR-Code que dá acesso a uma rápida enquete. Participando dessa enquete, você ajuda a reunir ideias para aprimorar ainda mais os próximos números.


Comments


bottom of page